DECLARAÇÃO DE IRS

28-02-2014 11:07
27/02/2014 | 12:20 | Dinheiro Vivo

Com o início de março, arrancam as entregas da declaração anual do IRS relativa aos rendimentos obtidos em 2013. Há poucas mudanças à espera dos contribuintes e as mais relevantes estão na possibilidade de sujeitar as rendas de casa a uma taxa única de 28% e de usar 15% do IVA gasto em restaurantes, oficinas e salões de beleza para abater ao IRS. A este benefício, somam-se as já clássicas despesas de saúde, educação e de casa, se bem que em moldes menos generosos do que no passado. Mas para usufruir de qualquer destas deduções é necessário que tenha colecionado faturas entre 1 de janeiro e 31 de dezembro. Veja o que pode fazer para poupar no imposto.

Despesas de saúde
O fisco aceita que ao IRS se possa abater 10% de todas as despesas de saúde relacionadas com a aquisição de bens e serviços isentos ou sujeitos à taxa de 6% do IVA. Ao contrário do que que sucedeu até 2011 em que não havia limite, este tipo de dedução passou a ter um valor global de 838,44 euros por agregado. Nas famílias com três ou mais filhos, aquele teto pode ser elevado em 125,77 euros (30% do valor de um Indexante de Apoios Sociais) por cada dependente desde que haja despesas de saúde relativamente a todos eles.

É ainda necessário que as despesas de saúde estejam associadas ao seu beneficiário, pelo que no ato de emissão da fatura deve indicar-se pelo menos o seu nome. Na prática, por cada 100 euros gastos, o imposto reduz em 10 euros.

Despesas de educação
30% dos gastos com livros e todo o material escolar, propinas ou ATL podem ser usados para abater ao IRS, até ao limite de 760 euros. Tal como na saúde, também aqui os dependentes podem fazer a diferença, já que por cada filho (desde que sejam mais de 3) aquele limite pode ser aumentado em 142,5 euros