COMUNICAÇÃO DO PRESIDENTE

17-02-2014 14:35

Caro Colega,

Desde Junho de 2013, foram efectuadas por mim e por um grupo de Colegas, um conjunto de comunicações, através do e-mail da mediadora Catriene. Certamente que vos mereceu a vossa melhor atenção.

Tornou-se este um meio de comunicação habitual, transparecendo desde o princípio, o esclarecimento das contas apresentadas, assim como pela apresentação de ideias para uma mediação imobiliária mais próxima dos mediadores.

Neste processo, que teve diversos capítulos, entre os quais, uma campanha eleitoral conturbada, e por consequência umas eleições também conturbadas, das quais muito se escreveu e se escreverá.

Considerei eu e os apoiantes da nossa candidatura, que existe um fosso demasiado grande entre os mediadores e quem os representa numa única associação, estando em muitos aspectos de costas voltadas, não por culpa dos mediadores, mas assim uma vez mais, por quem diz que os representa, num sector que já teve melhores oportunidades, mas que promete voltar a “sorrir”, por força, não só dos seus profissionais, mas por outras circunstâncias também de importância elevada.

Durante a campanha eleitoral, sempre afirmámos que éramos a alternativa. Demonstrámos sê-lo, e pela captação de muitas, para não dizer, todas, essas ideias, que tentam agora quem nos critica, de uma forma atabalhoada, pô-las em prática, não conhecendo a sua génese - origem. Apresentámos ideias, projectos e principalmente pessoas, com valores intrínsecos e experiência já demonstrada, dispostas a empenhar-se, uma vez mais, em valores há muito esquecidos, com o propósito de unir a classe.

A mediação imobiliária, no passado, tal como hoje, necessita de uma Associação que os una, que promova a sua classe, promova o negócio, que  faça com que os seus associados sejam respeitados junto de clientes compradores e clientes vendedores, bem como pelas  associações congéneres, dê elevado destaque e verdadeira representatividade dos interesses da imobiliária, assim como da tutela.

Esta Associação, surge agora, pela congregação de esforços daqueles que apoiaram a nossa lista, e que não se reviram na outra, abrindo assim espaço para que se sintam devidamente representados, e tem um nome – ASMIP – Associação dos Mediadores do Imobiliário de Portugal. Para além dos mediadores imobiliários, dá espaço para que os outros profissionais que prestam serviços aos mediadores tenham o seu lugar e representatividade.

Com sede na Av. Fontes Pereira de Melo, 19 – 6º Piso, em Lisboa, tem no seu programa, alguns dos seus pontos principais:

1- À Associação compete ter uma intervenção actuante e firme junto do poder político, para que possamos desenvolver uma actividade com a dignidade e credibilidade que a classe e os consumidores merecem e exigem.

2– A globalização da economia e as tecnologias da informação trazem, por inerência, a concorrência externa, para a qual devemos estar preparados se queremos sobreviver na actividade, no mercado global e cada vez mais exigente e profissionalizado, dispondo para isso das ferramentas tecnológicas necessárias.

A preservação da identidade do profissional sério e competente do mediador imobiliário e a sua constante procura de excelência profissional são o caminho a seguir para que possamos, no futuro, responder de forma coesa às necessidades dum mercado em constante mutação.

3– A formação profissional:

  Embora com a nova lei deixe de ser uma obrigação, deverá ser uma preocupação da ASMIP – Associação dos Mediadores do Imobiliário de Portugal, como da classe mediadora, para atingir a excelência por todos desejada. Não nos moldes actuais, mas de outra forma e a preços que todos possam tê-la sem encargos excessivos. Questiona-se qual o papel da formação na atividade de mediação imobiliária? Esta é uma questão, à qual a Associação já tem soluções práticas. A seu tempo receberá a informação

  Acompanhar a evolução dos mercados cada vez mais competitivos a nível nacional e internacional, dotando os mediadores associados de ferramentas e capacidades que o tornem um profissional actualizado e competitivo neste mercado global, em parcerias corporativas da classe, por forma a que todos e em pé de igualdade, consigam realizar o maior número de negócio.

  Dar credibilidade à classe perseguindo o objectivo da auto-regulação de forma a que seja a ASMIP a emitir as respectivas licenças e fazendo um combate legal à mediação ilegal que cada vez mais prolifera no nosso mercado de forma impune.

4– Definição do papel laboral dos angariadores imobiliários (comissionistas externos e comissionistas com vínculo laboral e outros prestadores de serviços) na actividade de mediação imobiliária.

5 – Formar Delegações Regionais em que estas devem ter um papel activo e interventivo, tanto na dinamização regional como nacional.

6 – Base de dados, pró-activa e actualizada de todos os mediadores.

7- MLS activa e exclusiva da ASMIP e dos seus Associados.

8- Dinamização da Rede de Mediadores e Associados da ASMIP com vista á partilha de negócios.

9- No site da ASMIP acesso reservado aos Associados, criar legalmente uma - Bases de dados sobre incumpridores, sejam eles proprietários, arrendatários e angariadores (comissionistas).

10- Seguro de arrendamento;

11- Seguros e formações adequados às necessidades da classe mediadora, com temas actuais e custos reduzidos;

12- Disponibilizar, no site da ASMIP – na parte de acesso reservado ao Associados – uma Bolsa de Negócios Imobiliários Nacionais e Internacionais, por forma a dar expressão às parcerias criadas com as diversas entidades e acessíveis a todos os membros;

13- Junto do órgão fiscalizador INCI, solicitar incessantemente que promovam a fiscalização aos agentes clandestinos;

14- Perseguir o objectivo da auto-regulação junto do poder político;

15- Consideramos que a ASMIP é uma Associação que só poderá subsistir e ter voz activa pelas mais-valia dos seus Associados. Estes representam o maior activo desta Associação. Para tal, importa defender os seus interesses, tanto de forma individual como colectiva;

16- A ASMIP coloca ao dispor dos seus Associados um aconselhamento jurídico sério e eficaz, sem prejuízo de um eventual acompanhamento subsequente em processos judiciais;

17 – Realizará logo que possível um CONGRESSO NACIONAL por forma a dar voz aos seus Associados e definir os vários caminhos a seguir;

18 - Dado que a informação é atualmente um dos bens mais valiosos no nosso mercado, informaremos regularmente os nossos Associados, tanto da evolução do mercado nacional e internacional – mercados mais emergentes, através de publicações electrónicas. Nessa medida, vamo enviar aos Associados boletins electrónicos informativos contendo explicitações sobre diplomas legislativos e as eventuais repercussões no mercado imobiliário e informação actualizada e atempada do trabalho que vamos desenvolvendo;

19 - Na senda da cultura de proximidade a que nos propomos, os Associados poderão assistir, tanto na sua sede como nas suas Delegações Regionais, a sessões de esclarecimento ou seminários temáticos sobre matérias de interesse e os diplomas legislativos relevantes, para o nosso sector, que venham a ser publicados, bem como sobre outros temas que se apresentem como prementes;

20- Pretendemos desta forma, ter uma Associação participativa e não meramente administrativa da classe mediadora. Dinamizar a classe, fomentar negócio e motivá-la para os desafios que nos surgem diariamente.

Assim como, em termos de mais valia de serviços:

- Seguro de Responsabilidade Civil com um capital obrigatório de 150.000,00€ por 115,00€

- Formações com temas e conteúdos mais actuais, vocacionados para a área imobiliária, como por exemplo:

* A formação anual e obrigatória para a classe Mediadora – Branqueamento de Capitais, com a duração de 10h (mínimo legal) e por um valor de 65,00€ por participante;

* Arrendamento Urbano por um valor de 35,00€ por participante.

Para esse efeito, a ASMIP, enviará brevemente o calendário de formação, de forma a que os seus Associados, possam atempadamente inscrever-se nas respectivas acções;

- Workshops e seminários, com inscrição e participação de valor reduzido com temas e autores, cuja acção e conhecimento, seja reconhecida pela sociedade civil;

- Encontro anual e a nível nacional da classe mediadora, debatendo os problemas e projectos, de uma área bem relevante para o País;

- Consultório jurídico, mais actuante, através dos meios habituais de comunicação – telefone, e-mail e correspondência, com sessões de esclarecimentos sobre as diversas alterações que sejam produzidas na legislação do País;

- Incremento das parcerias com entidades que nos levam a promover negócio imobiliário.

Quanto à inscrição, participação e outras novidades, vai a ASMIP – Associação dos Mediadores do Imobiliário de Portugal, em comunicado, brevemente, apresentar os mesmos.

Acreditamos, numa classe mediadora forte, promovendo a mesma, o negócio e ser representativa dos profissionais há muito esquecidos no panorama nacional.

Conto / contamos consigo neste projecto, tal como contei / contámos consigo no passado.

Os meus melhores cumprimentos

Francisco Pais

Catriene

Tel.: 217615723

@: catriene@sapo.pt